Descubra qual coletor de dados é ideal para seu negócio

O coletor de dados é um equipamento eletrônico com algumas características do computador portátil, porém, desenvolvido para suportar o uso contínuo/intenso em atividades das empresas (chão de fábrica, depósitos, energia, logística, transportes etc.), para permitir o melhor desempenho na integração com soluções de retaguarda corporativas (banco de dados, ERP e WMS) e na leitura de códigos (barra, 2D e RFID).

Para garantir que você investirá no coletor que mais se adequa ao seu negócio, é importante entender tudo que este equipamento precisa possuir. Para isso, separamos 8 características importantes para analisar, antes de decidir qual modelo e fabricante escolher:

1. Sistema operacional

O coletor de dados possui sistema operacional equivalente a usada pelos computadores e smartphones em comercialização (Microsoft Windows e Google Android), facilitando o uso pelos colaboradores.

É importante analisar a interface/software e a forma de integração com o sistema ERP e WMS, já que a padronização do sistema operacional dos novos equipamentos é pelo sistema Android, na sua maioria, uma interface simples e mais utilizada pelos desenvolvedores de soluções.

2. Teclado

O coletor de dados possui teclado numérico, alfanumérico ou QWERTY (físico e/ou virtual), é bom analisar a finalidade de uso do coletor de dados, as necessidades da atividade (com/sem luvas) e melhor ergonomia ao operador. Isso facilitará a implantação, na atividade e aumentará a produtividade em sua empresa.

3. Leitores

Os coletores são equipados com leitores para garantir o desempenho que a sua empresa precisa, porém, é necessário analisar o ambiente, o tipo de código e a distância de leitura:

  •  os leitores laser/CCD/1D e são indicados apenas para o escaneamento de códigos de barra/lineares (EAN, intercalado 2 de 5, UPC, etc.), dentro das normas do GS1 Brasil,
  • os leitores imager/2D estão em ampla utilização pelos coletores de dados e estão preparados para rápida leitura de códigos de barras/lineares e bidimensionais (Aztec, DataMatrix, QRCode), tanto para códigos bem impressos, para códigos danificados, leitura de códigos em metais e leituras de curta, média distância (1 metro) e longa distância, dentro das normas do GS1 Brasil,
  • E, por último, temos a tecnologia RFID, que, além da leitura de códigos 1D/lineares e 2D/bidimensionais, faz a leitura das informações gravadas eletronicamente nas “etiquetas”, permitindo a leitura simultânea de vários produtos, apenas pela proximidade. Abordaremos este tema de forma mais profunda em outro post.

4. Conexão (Bluetooth, Wifi, 4G)

A interface para conexão que a sua empresa precisa, deve considerar se a operação é interna ou externa, o tamanho da operação, o volume de dados e a finalidade da coleta de dados.

  • Conexão Bluetooth possibilita o pareamento com outros aparelhos/periféricos, muito utilizado em atividades onde o operador precisa de uma impressora portátil ou precise acionar outros equipamentos próximos,
  • Conexão Wifi é uma comunicação privativa/corporativa, que permite a comunicação simultânea por radiofrequência (2.4 GHz  ou 5 GHz)de vários equipamentos em um mesmo ambiente/local, com alta taxa de comunicação e segurança/criptografia, podendo ser em ambientes internos (galpão e predial) ou externos (ambiente externo da empresa, fazendas, etc.)
  •  Conexão 4G foi desenvolvida para atender as atividades em campo e em locais onde o wifi não chega ou seu investimento não é viável;

Também é importante analisar se o coletor de dados será integrado com bancos de dados e soluções de retaguarda, como ERP e/ou WMS, o que otimiza o fluxo e a gestão, reduzindo o tempo na execução de algumas atividades como: recebimento de materiais, leitura de medidores (hidrômetros, pressão, vazão, etc.), inventário (ativo fixo, estoque), fracionamento e separação de itens/produtos, movimentação, logística de remessa, pesquisa de campo, transporte, reposição de produtos em gôndolas/prateleiras, etc.

5. Duração da bateria

Em geral, os coletores de dados são equipados com baterias recarregáveis e/ou substituíveis, para permitir a utilização por um período/jornada de trabalho (4, 6 ou 8 horas).

Atualmente encontram-se diversos modelos no mercado, como os que possibilitam a troca de bateria durante o uso do equipamento, sem que ele precise ser desligado, baterias que recarregam de forma mais rápida, etc. 

Cada solução atende uma necessidade distinta de operação, basta analisar qual equipamento e a bateria que se adequam melhor ao seu negócio.

6. Proteção contra impactos

Analisar o ambiente da sua operação é muito importante. O coletor de dados possui uma proteção superior contra quedas, como já vimos no texto Coletor de dados x Smartphone.

Mas, se mesmo assim, o ambiente apresenta diversos riscos ao seu equipamento, você pode contar com acessórios feitos especialmente para oferecer aos coletores uma proteção extra contra quedas ou batidas.

7. Índice de selagem

O índice de selagem classifica o grau de proteção (IP) e vedação para evitar a entrada de poeira e umidade que possam danificar seus circuitos/componentes internos (corrosão, mal contato, etc.), evitando a parada do equipamento por problemas técnicos e garantindo o investimento.

Analise este índice de acordo com o ambiente da sua operação. Lembre-se que quanto maior o IP, maior a proteção.

8. Certificações especiais

Em alguns casos, os coletores de dados precisam, além das proteções de robustez e de selagem, possuir características e certificações especiais para seu uso em áreas insalubres, como suportar as baixas temperaturas e a umidade em ambientes frigorificados (abaixo de -10ºC com umidade, desembaçador de tela/leitor, etc.).

As Normas Internacionais (ATEX, IeCEX, INMETRO e UL) foram desenvolvidas para evitar o risco de explosão em ambientes com exposição/presença de gases/vapor inflamáveis (área classificada), em preservação da integridade do colaborador/funcionário, da comunidade local (cidade, área portuária, etc.), do meio ambiente e da empresa.

Para todas estas análises, é importante contar com a ajuda de profissionais especialistas no assunto. Para isso, a Cyclopes conta com uma equipe com mais de 30 anos de experiência, pronta para te ajudar a analisar todos os detalhes do seu negócio e garantir que seu investimento será direcionado ao equipamento certo.

Entre em contato conosco.

Uma resposta

Deixe um comentário

Leia outros conteúdos